Como construir uma planta de construção Como desenvolver uma planta de construção

Área do Cliente

Como construir uma planta de construção



30 de julho de 2021

O planejamento é o coração de qualquer empreendimento imobiliário. No planejamento, elaborar uma boa planta para construção é essencial para o sucesso de toda construtora, incorporadora ou escritório de engenharia/arquitetura. Vamos juntos ver um passo a passo com as melhores práticas para fazer uma boa planta para construção?

Por que você deve investir em uma boa planta para construção

Todo empreendimento precisa de uma base sólida para dar certo, e a planta baixa é o ponto central de um bom planejamento. A execução toda será baseada nos detalhamentos e medições previstas na planta, por isso, é extremamente importante que não contenha erros que causem defeitos ou vícios construtivos.

Os vícios construtivos podem ir desde pequenos erros como a falta de um espelho de tomada, um acabamento feito com um material diferente do previsto, até uma falha de execução no tamanho dos degraus de uma escada, por exemplo. Nesse exemplo da escada, temos um defeito construtivo, que afeta a usabilidade do imóvel. Essa categoria de problema é tudo que uma construtora ou incorporadora não deseja, não é mesmo? Isso pode implicar em processos por parte de futuros moradores do imóvel e em dores de cabeça jurídicas difíceis de resolver. A melhor forma de prevenir erros construtivos é detalhando ao máximo nas plantas da construção tudo que deverá ser feito e como deverá ser feito.

O engenheiro/a ou arquiteto/a responsável pela execução deve acompanhar tudo de perto para ter certeza de que as plantas estão sendo seguidas pela equipe de construção. Afinal, depois de executada a obra, fica mais custoso e difícil consertar qualquer problema.

Etapas a seguir para fazer uma boa planta para construção

Antes mesmo de começar a elaborar a planta, é preciso seguir alguns passos do planejamento.

Entender o cliente/comprador

 Caso já exista um cliente final, o primeiro passo é uma conversa, uma reunião para entender o que ele deseja na sua obra. Caso não haja um único cliente final, é importante fazer um levantamento sobre o perfil de imóvel mais procurado na região em que se deseja construir. Tudo isso garante que sua empresa de construção entregará um empreendimento que atende às expectativas dos clientes e compradores.

Entender as possibilidades: levantamento do terreno e medições

O terreno escolhido para o empreendimento é o que vai determinar o que pode ser feito. Portanto, consulte o código de obras local para saber dos distanciamentos obrigatórios em relação aos vizinhos, à rua e outros (como rios, nascentes, etc.).

Visto que, sabendo as distâncias que precisa guardar, é preciso medir totalmente o terreno, fazer um levantamento completo dos eventuais desníveis, de onde o sol nasce e se põe e, então, passar ao croqui.

Croquis, rascunhos e planejamento da planta

Os croquis são aqueles primeiros esboços que exploram as possibilidades de distribuição dos cômodos do empreendimento, fachadas diferentes, enfim, são as ideias expressas em papel.

Nessa etapa é preciso pensar nos objetivos dessa construção, posicionar os cômodos em relação ao sol para que todos fiquem bem iluminados e ventilados.

Todo projeto precisa de algo diferente, que o destaca em relação aos outros, e esse é o momento de pensar naquele detalhe especial.

Projetando a planta da construção

Diante disso, agora é a hora de passar as ideias para o software de desenho técnico da sua preferência. Essas ferramentas são comumente chamadas de CAD, sendo a mais conhecida o AutoCAD. Mas, também há outras tecnologias possíveis, principalmente aquelas focadas em projetar com base na metodologia BIM, como o Revit e o ArchiCAD. Ou então, focadas em modelar apenas o 3D do projeto, como o SketchUp.

Para fazer uma planta baixa corretamente é preciso seguir as normas técnicas que determinam como fazer cotas, escalas, cortes, fachadas e não esquecer de especificar detalhes importantes como materiais, acabamento e medidas.

Relembre algumas das normas ABNT para desenho técnico arquitetônico:

  • NBR 8196 – Emprego de escalas
  • NBR 8403 – Aplicação, Tipos de linhas e Larguras das linhas
  • NBR 10067 – Representação em Desenho Técnico
  • NBR 10068 – Folha de Desenho e Leiaute e Dimensões
  • NBR 10126 – Cotagem de Desenho Técnico
  • NBR 10582 – Apresentação da Folha para Desenho
  • NBR 13142 – Dobramento de Cópia
  • NBR 12298 – Como Usar Hachuras
  • NBR 6492/94 – Representação dos Projetos de Arquitetura

Além disso, após a planta baixa arquitetônica ser definida, outras plantas detalhadas são necessárias para um projeto: planta baixa elétrica, hidráulica, projeto preventivo de incêndio, estrutural e até mesmo outros complementares como de paisagismo, iluminação, decoração, 3D. Os empreendimentos possuem necessidades distintas, mas partir de uma planta baixa arquitetônica bem elaborada é o ponto-chave para que toda a construção seja bem planejada e executada!



Noticias relacionadas

Globaltec inicia estratégia de BPO para gestão contábil

A solução BPO para gestão contábil facilita o dia a dia das empresas ao oferecer um gerenciamento especializado e...

Saiba mais!

4 dicas para diminuir a carga tributária em sua construtora

As obrigações fiscais andam de mãos dadas com a gestão de uma empresa. Se você planejar com antecedência, tomar...

Saiba mais!
Confira como a tecnologia ERP beneficia o segmento de construção civil

Confira como a tecnologia ERP beneficia o segmento de construção civil

Para o segmento da construção existem sistemas ERP desenvolvidos de forma específica, a fim de cobrir todas as atividades...

Saiba mais!

Assine a Newsletter

E receba conteúdos exclusivos