Ransomware: Conheça o sequestrador de informações digitais

Área do Cliente

Ransomware: Conheça o sequestrador de informações digitais



30 de março de 2017

Não é preciso ser um utilizador assíduo de tecnologia para, ao menos, já ter ouvido falar sobre vírus, malwares e spywares, não é mesmo? Pois esses inconvenientes arquivos executáveis são mundialmente conhecidos por serem desenvolvidos por usuários maliciosos, com o intuito de danificar computadores, roubar dados ou até mesmo chantagear pessoas com informações e arquivos sigilosos.

Infelizmente, o problema não para por aí; apesar de ser uma praga digital menos conhecida, ataques por ramsonwares estão se tornando cada vez mais frequentes.

Os danos que eles podem causar são inestimáveis e os hackers que disseminam esse vírus têm uma preferência no perfil de suas vítimas: empresas que armazenam seus dados em servidores digitais.

Continue lendo para saber tudo sobre ramsonware — o sequestrador de informações digitais.

O que é ramsonware?

A forma mais direta de descrever um ramsonware é o denominando como um sequestrador de dados digitais. É isso mesmo, trata-se de um trojan, ou cavalo de troia, que invade o computador e, literalmente, sequestra dados, criptografando as informações em segundo plano, sem que o usuário sequer note o que está acontecendo.

Após o processo ser concluído, o sistema é bloqueado e o usuário recebe um pop-up, informando-o que seus dados só serão liberados mediante um resgate pago em bitcoins (moeda digital, muito utilizada no mercado negro digital).

O usuário fica impedido de realizar qualquer tarefa ou acessar seus arquivos, pois o ransomware codifica todas as informações, de forma que elas são desbloqueadas apenas pelo próprio autor do vírus.

Como o ramsonware invade um sistema?

Existem diversas formas de um ramsonware invadir o sistema de um computador ou servidor e todas são discretas e silenciosas, o que tem agravado diretamente a incidência desse tipo de ataque digital.

A praga pode infectar o computador por meio:

  • Da instalação de uma falsa atualização de software;
  • De um aplicativo vulnerável a ataques;
  • Do acesso de um site malicioso ou;
  • De links enviados por e-mail.

No Brasil, em janeiro de 2016, a disseminação de ramsonwares estava sendo realizada através de uma falsa atualização do Adobe Flash Player. Bastava clicar no botão de atualização para ser infectado.

Como o criminoso digital atua através do ramsonware?

O caso mais conhecido e alarmante de sequestro de dados por ramsonware aconteceu fora do Brasil, quando uma empresa de transporte municipal, em São Francisco, teve todos os seus servidores criptografados por um ransomware, deixando seu sistema inativo.

O resgate exigido na época foi de nada menos do que 100 bitcoins, que, em valores, atuais representam a quantia de R$ 315.717,00.

Como a empresa possuía backup de todas as suas informações em servidores que não estavam conectados à rede, o resgate não precisou ser pago e seu sistema estava ativo no dia seguinte.

O que fazer se o computador for infectado?

A remoção da praga digital é praticamente impossível depois de o seu computador ser infectado, ou seja, após o ramsonware ser ativado no sistema.

Ele bloqueia recursos vitais de reparação do sistema. Por isso, a melhor estratégia é a prevenção.

Como se prevenir de um ataque de ramsonware?

O próprio site da Microsoft possui uma página inteira dedicada a fornecer informações aos usuários sobre como se proteger dos ataques de ramsonware.

Entre suas dicas de prevenção, estão:

  • Manter o firewall do Windows sempre ativo;
  • Manter todos os programas sempre atualizados;
  • Manter a atualização automática sempre ativa;
  • Verificar se o Microsoft Security Essentials está instalado e atualizado (no caso dos usuários das versões Windows 7 e Windows Vista);
  • Verificar se o Microsoft Windows Defender está instalado e atualizado (para usuários das versões Windows 6 e Windows 10);
  • Ter um backup seguro, atualizado e de fácil acesso, caso seja necessário formatar o computador;
  • Ter um antivírus de qualidade, ativo, atualizado e fazendo buscas regulares por todo o tipo de praga virtual;
  • Evitar clicar em links suspeitos;
  • Evitar acessar sites vulneráveis;
  • Buscar não instalar aplicativos e softwares de fontes desconhecidas.

Como você pode ver, o melhor remédio contra ramsonwares é o mesmo que tem efeitos eficientes contra spywares, vírus e outras pragas virtuais: a prevenção. Portanto, uma navegação segura é sempre aconselhável como prática constante e criar políticas de uso da internet em sua empresa, fundamental.

Você já foi ou conhece alguém que já tenha sido vítima de ataques digitais? Compartilhe sua experiência deixando um comentário!



Noticias relacionadas

O que esperar no primeiro semestre de 2017 no mercado de construção civil

O que esperar no primeiro semestre de 2017 no mercado de construção civil

Após mais um ano de muitas dificuldades, o mercado de construção civil começa a apresentar reações positivas neste primeiro...

Saiba mais!
5 problemas da falta de profissionais capacitados na construção

5 problemas da falta de profissionais capacitados na construção

A falta de mão de obra qualificada no setor de construção civil é, sem dúvida, um dos maiores gargalos...

Saiba mais!
Veja os cuidados que devem ser tomados no transporte de concreto

Veja os cuidados que devem ser tomados no transporte de concreto

Sua construtora, conta com serviços de empresas de serviços de concretagem? Conheça os cuidados que devem ser tomados no...

Saiba mais!

Assine a Newsletter

E receba conteúdos exclusivos

A Globaltec atende no mercado de construção civil mais de 1000 clientes no Brasil através do ERP UAU - Software para constução civil


Quer descobrir como podemos ajudar seu negócio?


Entre em contato

Fale conosco: